Chamada para inscrições – Conselho da Juventude da ONU-Habitat

O presidente do MDDF, Edinilson Ferreira dos Santos, faz parte do Conselho atual, representando jovens de assentamentos informais e da América Latina e Caribe.  Incentivamos jovens de organizações juvenis, da periferia, e de movimentos sociais das cidades de Brasil e América Latina de participar deste espaço de diálogo entre jovens do mundo inteiro!

UN-Habitat Youth Advisory Board1

O Conselho tem a intenção de envolver a juventude no debate sobre questões que afetam as cidades. No espaço eles poderão dar suas opiniões e ajudar a assessorar a agência da ONU em temas relacionados à urbanização sustentável e ao desenvolvimento urbano. Prazo para se inscrever termina em 2 de março.

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) convoca jovens para participar do Conselho Consultivo da Juventude de 2015-2017. A função do Conselho é envolver a juventude no debate sobre questões que afetam as cidades. O Conselho oferece aos jovens um espaço para transmitir suas opiniões e ajudar a assessorar a agência da ONU em temas relacionados à urbanização sustentável e ao desenvolvimento urbano.

No total serão escolhidos 12 jovens, seis homens e seis mulheres de cada região do mundo – África, Ásia Pacífico, Europa, América Latina, Caribe, América do Norte e Ásia Ocidental. O Conselho ainda incluirá um jovem observador que representará os portadores de necessidades especiais, outro procedente de um assentamento informal e outro assessor externo, os três designados pelo ONU-Habitat.

Os candidatos devem ter entre 18 e 32 anos, ser membros de organizações de jovens e ter domínio do inglês. Uma vez selecionados, os membros do Conselho devem assistir as reuniões indicadas pelo ONU-Habitat e apresentar relatórios a cada quatro meses.

O prazo de inscrição termina em 6 de março. Para mais informação ou consulta, os candidatos devem escrever para:YAB@unhabitat.org.

Para se inscrever,  clique aqui: http://bit.ly/1Ao3EWr

O MDDF apoia parto humanizado no SUS!

Queremos um sistema público de saúde que reconheça o direito da mulher sobre seu corpo e proporciona atendimento humanizado para tod@s!

Com as nossas parceiras do Grupo MaternaMente ABC, estamos promovendo diálogo sobre a humanização no Hospital da Mulher “Maria José Santos Stein” desde o começo de 2014.  Nos mobilizamos por meio do Orçamento Participativo Digital entorno de uma proposta de investimento em ações de humanização no Hospital, proposta essa que foi escolhida por votação online como uma das propostas para a cidade.  Porém, soubemos em setembro de 2014 que esta demanda não foi priorizada pelo Conselho Municipal de Orçamento para o orçamento de 2015.  A partir deste momento, começamos a atuar junto aos conselhos responsáveis pela gestão da saúde, entendendo que a humanização não é escolha ou opção, mas uma obrigação legal e moral dos gestores públicos.   O MDDF é titular de uma vaga no Conselho Municipal de Saúde e em 2015 focará sua atuação no apoio ao movimento pelo parto humanizado no SUS.

Proposta OP Humanização Hospital da Mulher jpg


Ato obstetrizes

A convite do MDDF aceita LEONARDO BOFF debate Sociedade, Cultura e Meio Ambiente

 

09/04/2014 – MUNDO
  LEONARDO BOFF DEBATE SOCIEDADE, CULTURA E MEIO AMBIENTE EM SANTO ANDRÉ
  Por: Da Redação  (pauta@abcdmaior.com.br)
 
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Bate papo será nesta quinta-feira (10/04), às 19h, no Teatro Municipal 

O já reconhecido teólogo Leonardo Boff estará nesta quinta-feira (10/04), às 19h, no Teatro Municipal de Santo André em uma conversa sobre sociedade, cultura e meio ambiente. E como um petisco para a palestra o ABCD Maior publica também nesta quinta-feira entrevista com o pensador, que fala um pouco sobre o atual contexto político e social e a participação da igreja católica neste xadrez. 

O evento  no teatro é uma realização do Movimento em Defesa dos Direitos dos Moradores em Favela (MDDF), com o apoio da Prefeitura de Santo André e do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Na cadeira de Galileu Galilei

Teólogo, escritor, professor, ex-padre, Leonardo Boff cursou filosofia e teologia,  doutorou-se em teologia e filosofia na Universidade de Munique-Alemanha, em 1970. Ingressou na Ordem dos Frades Menores, franciscanos, em 1959. Durante 22 anos, foi professor de teologia no Brasil e no exterior. 

Esteve presente nos inícios da reflexão que procura articular a Teologia da Libertação. 

É doutor honoris causa em Política pela universidade de Turim (Itália) e em teologia pela universidade de Lund (Suécia). 

Em 1984, em razão de suas teses ligadas à Teologia da Libertação, apresentadas no livro “Igreja: Carisma e Poder”, foi submetido a um processo pela Sagrada Congregação para a Defesa das Fé, ex Santo Ofício, no Vaticano. Em 1985, foi condenado a um ano de “silêncio obsequioso” e deposto de todas as suas funções editoriais e de magistério no campo religioso. Dada a pressão mundial sobre o Vaticano, a pena foi suspensa em 1986, podendo retomar algumas de suas atividades.

Em 1992, sendo de novo ameaçado com uma segunda punição pelas autoridades de Roma, renunciou às suas atividades de padre e se autopromoveu ao estado laico. Mudou de trincheira para continuar a mesma luta: continua como teólogo da libertação, escritor, professor e conferencista nos mais diferentes auditórios do Brasil.

  Leonardo Boff emociona em palestra realizada pelo MDDF

 

 Dia 10 de abril de 2014 foi um marco para o MDDF. Realizamos um sonho que acalentamos por anos: trazer o teólogo Leonardo Boff – um dos maiores pensadores da atualidade sobre questões ambientais, espiritualidade, direitos humanos, entre outros. Boff concedeu a palestra “Desafios Ambientais para Humanidade” por duas horas no Teatro Municipal de Santo André e ainda, com carinho e paciência, respondeu a questões da plateia após o encerramento de sua fala.

Aos 75 anos, ele proferiu de pé todo o tempo e, sem demonstrar  cansaço, silenciou os presentes com suas reflexões absolutamente pertinentes sobre a nossa relação com o outro, conosco mesmo e com o planeta Terra. “O planeta vive sem nós. Mas nós não viveremos sem ele”, disse.

O filósofo abriu a palestra tratando da conjunção da escassez de água potável com o aquecimento global e demonstrando como tal cenário está levando o planeta para o centro de uma crise capaz de exterminar as formas de vida como hoje conhecemos.

Para Boff, é a contribuição de cada um e ao mesmo tempo de todos que fará a diferença para reverter uma grande catástrofe – que já assistimos parcialmente com as mudanças climáticas, desaparecimento de espécies, migração de populações etc. A produção deve se dar “no ritmo da Terra”, assinalou.

“As duas crises são globais e afetam globalmente a todos, com efeitos letais. Por isso, precisamos de uma governança também global, capaz de tratar do assunto a partir de um centro pluridimensional de poder. Isso exige que cada país renuncie um pouco de sua soberania, o que não vemos acontecer. Então podemos morrer por causas produzidas pela própria humanidade. Hoje o meteoro rasante que passa próximo à terra se chama ser humano”.

Boff criticou o capitalismo, que teria transformado tudo em mercadoria, inclusive o ser humano. “Quando não se quer mais, bota-se fora, como uma mercadoria”. O único amor do capitalismo é o “valor de mercado”. Por isso, Boff fala em uma inteligência ancestral capaz de resgatar o sentimento de o amor, de afeto entre os seres humanos e deles em relação à natureza. “Sem isso o ser humano não vai olhar para o pobre, não vai cuidar da natureza”, exemplifica. “Podemos ser mais, com menos. Temos de resgatar a solidariedade”.

Crítico do neoliberalismo, apontou estatísticas que demonstram o que o modelo capitalista gerou: 1% da população do Estados Unidos possui mais riqueza que todo o país junto. No Brasil, 5 mil famílias detêm 43% da riqueza nacional.

Ready, set….

O presidente do MDDF, Edinilson Ferreira dos Santos, é representante de assentamentos informais no Conselho da Juventude da ONU-Habitat. Participa atualmente no Fórum Urbano Mundial, evento que a ONU-Habitat convoca a cada dois anos para discutir estratégias para a gestão urbana mais sustentável, eficaz e inclusiva. Saiba mais das discussões acontecendo em Medellín, Colômbia aqui: http://wuf7.unhabitat.org/theworldurbanforum-es

Leonardo Boff em Santo André

Convidamos a todos os associados e amigos do MDDF a receber o teólogo Leonardo Boff em Santo André!

Imagem

 

Teólogo mescla sociedade, meio ambiente, cultura e espiritualidade para tratar da questão socioambiental; evento será na próxima quinta-feira (10), no Teatro Municipal

Santo André, 4 de abril de 2014 – Uma opção para refletir sobre sociedade, cultura e meio ambiente. Na próxima quinta-feira (10), às 19h, o teólogo Leonardo Boff vem a Santo André para a palestra gratuita Desafios Ambientais para a Humanidade, no Teatro Municipal. O evento é uma realização do Movimento em Defesa dos Direitos dos Moradores em Favela (MDDF), com o apoio da Prefeitura de Santo André e do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Criador da Teologia da Libertação, Boff sempre foi defensor da causa dos Direitos Humanos e um dos mais influentes pensadores da atualidade na discussão da responsabilidade socioambiental. Foi coautor da Carta da Terra, um compromisso ético internacional que estabelece os princípios fundamentais para a construção de um mundo justo, sustentável e pacífico.

Durante 22 anos, foi professor de Teologia Sistemática e Ecumênica em Petrópolis, no Instituto Teológico Franciscano. Pofessor de Teologia e Espiritualidade em vários centros de estudo e universidades no Brasil e no exterior, além de professor-visitante nas universidades de Lisboa (Portugal), Salamanca (Espanha), Harvard (EUA), Basel (Suíça) e Heidelberg (Alemanha).

É doutor honoris causa em Política pela Universidade de Turim (Itália) e em Teologia pela universidade de Lund (Suécia). Já recebeu prêmios no Brasil e no exterior, por causa de sua luta em favor dos fracos, dos oprimidos e marginalizados e dos Direitos Humanos.

Em 1984, em razão de suas teses ligadas à Teologia da Libertação, foi afastado de suas funções na Igreja Católica – as quais retomou em parte após dois anos, devido à pressão de apoio mundial sobre o Vaticano. Neste período, participou várias vezes das Semanas do Trabalhador no ABC paulista, promovida pela Pastoral Operária e CEBS da Diocese de Santo André.

Já em 1992, foi novamente ameaçado com uma segunda punição pelo Vaticano, quando decidiu se autopromover ao estado leigo. Continua como teólogo da libertação, escritor, professor e conferencista, assessor de movimentos sociais de cunho popular libertador, como o Movimento dos Sem Terra e as comunidades eclesiais de base (CEBs), entre outros.

Desde 1993 é professor concursado de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Boff é autor de mais de 60 livros nas áreas de Teologia, Ecologia, Espiritualidade, Filosofia, Antropologia e Mística.

Renascimentos em curso

Renascimentos em curso

O MDDF foi parceiro da exibição do documentário O Renascimento do Parto, realizado na UFABC em 18 de março para marcar o mês da mulher e promover amplo debate sobre os problemas graves com o sistema atual de atendimento obstétrico no Brasil.  Veja mais no blog do Grupo Maternamente, coletivo que organiza encontros mensais para gestantes em Santo André.  

 

Quem tem lugar nas cidades?

blog da Raquel Rolnik

Na tarde de hoje, apresento ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, meu último relatório temático como relatora para o Direito à Moradia Adequada.

Ao longo destes seis anos de mandato, pude constatar a grave crise habitacional que atinge as populações mais pobres das cidades em todo o mundo. A questão da segurança da posse —tema deste meu último relatório— está no centro desta crise.

* Leia coluna completa no site da Folha.

Ver o post original

Conselho Municipal de Gestão e Saneamento Ambiental – 2013-2014

COMUGESAN

O COMUGESAN é o conselho municipal responsável por “estudar, propor diretrizes, deliberar, fiscalizar e acompanhar a implementação da Política Municipal de Gestão e Saneamento Ambiental em Santo André.”  Entendendo que muitos dos assuntos de gestão ambiental mais urgentes da cidade têm a ver com os núcleos habitacionais (por exemplo, APPs, áreas de risco, grandes projetos de urbanização e mobilidade, manejo participativo do Parque do Pedroso e Haras/Chácara Baronesa, qualidade das redes de água e esgoto) é que o MDDF se candidatou  e foi eleito como membro do COMUGESAN a partir de janeiro de 2013.

O MDDF se compromete a ser uma voz independente e ativa em favor do direito de todos a um ambiente saudável.    Veja as entidades eleitas abaixo e acompanhe a atuação do MDDF no COMUGESAN aqui ou entre em contato com nossas representantes, Andreia Cardoso (titular), moradora do Parque de Pedroso e membro da diretoria do MDDF e Sarah Bryce (suplente), educadora ambiental e assessora do MDDF.

ENTIDADES ELEITAS POR SEGMENTOS:

Organizações da Sociedade Civil
 Clube da Família do Parque Represa Billings (Pq. Andreense)
 Primeiro de Maio F. C.
 Instituto Qualicidade

Associações Ligadas ao Comércio, Indústria e Serviços
 ACISA – Associação Comercial e Industrial de Santo André
Sindicato de Trabalhadores
 SINDIODONTO – Sindicato dos Odontologistas da Região do ABC
 Sindiserv – Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais

Profissionais Liberais
 Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Santo André
 Associação dos Engenheiros e Arquitetos do ABC

Associações e Organizações Não Governamentais Ambientalistas
 Instituto Acqua – Ação, Cidadania, Qualidade Urbana e Ambiental

Instituições de Ensino e/ ou Pesquisa
 Fundação Santo André

Representantes de Moradores de Área de Proteção e Recuperação aos Mananciais

 Movimento de defesa dos direitos dos moradores em núcleos habitacionais de Santo André

Vagas remanescentes dos segmentos “Conselho Municipal de Representantes da Subprefeitura de Paranapiacaba e Parque Andreense”

“Associações e Organizações Não Governamentais Ambientalistas”, “Associações Ligadas a Indústria, Comércio e Serviços”

 UFABC – Universidade Federal do ABC
 OAB – 38ª Subsecção
 Sindicato dos Químicos
 Associação dos Trabalhadores Aposentados do ABC